Área Técnica:

Diferenças entre camisas molhadoras

Algodão x Sintético x Sintético Encolhível

Algodão: Primeira Camisa Molhadora têxtil utilizada no mundo. Modelo mais utilizado nos mercados emergentes.

 
 
 
 
 
 
 
 
                 Sintético: Camisa Molhadora com maior tecnologia que a de algodão. Começou a ser vendida no Brasil no final dos anos 70.
 

        
 
 
 
 
 
 
 
             Sintético Termoajustável (encolhível): Camisa Molhadora mais utilizada no 1º mundo. Melhor produto disponível no mercado mundial.
 
 
Contras:
Liberação de felpas residuais.
Dificuldade na limpeza.
Dificuldade de colocação.
Baixa aderência ao cilindro.




 
 
 
Contras:
Dificuldade na colocação.
Baixa aderência ao cilindro.




 
 
 
 
 
 
 
Contras:
Necessidade de instrução para melhor utilização.

 
Prós:
Absorve grande quantidade de água.
Tem o menor custo entre os tipos de moletons.

 





 
Prós: 
Absorve e transporta melhor a quantidade de água adequada.
Não solta felpa.
Dura mais.
Facilidade na limpeza.
Custo por impressão mais baixo.





       
 
Prós:
Absorve e transporta melhor a quantidade de água adequada.
Não solta felpa.
Dura mais.
Facilidade na limpeza.
Custo por impressão mais baixo.
Facilidade na colocação.
Ajusta-se aderindo ao cilindro.
Ganho de hora-máquina.

 

Atoalhado x Aveludado

O navalhamento do moleton:

1- Diminui muito sua resistência ao atrito, podendo aumentar a quantidade de liberação de felpas residuais da camisa molhadora.

2- Menor área de contato com a água no tecido aveludado,  por isso é menor a absorção da água. É recomendado para casos que é necessário reduzir a quantidade de água transportada e a regulagem da máquina já foi ajustada ao limite mínimo.

3- Reduz o tempo de uso do moleton.
Alguns gráficos optam ainda hoje pela camisa molhadora aveludada e nós fabricamos esse produto.

Para quem não possui o conhecimento técnico têxtil de fabricante, pode confundir o moleton aveludado como um produto de melhor qualidade ou melhor que o moleton atoalhado,  porém a verdade não é bem essa.

O moleton aveludado, nada mais é do que a camisa molhadora atoalhada que após sua confecção, passa por uma navalhadeira que parte as felpas dando um aspecto de maciez ao "toque do produto".
 
 

Tipos de Offset

Offset Rotativa

As máquinas offset rotativas geralmente são facilmente encontradas em jornais e gráficas "de grande porte".
O principal diferencial das máquinas rotativas é sua produtividade. Nelas o papel sempre entra em bobinas e usualmente os acabamentos que o produto gráfico terá, já é feito em linha.
Nestas máquinas a agilidade de manutenção é imprescindível, já que a hora-máquina é valiosíssima, pois possibilita altíssima produção.
Para o sistema convencional de molha deste tipo de máquina é indicado o uso de manchão no rolo tinteiro de água e moletom nos rolos tomador e nos de chapa.
As máquinas offset planas geralmente são encontradas em gráficas de pequeno até grande porte.
O principal diferencial das máquinas planas é sua versatilidade. Nelas o papel geralmente entra em folhas já cortadas em formatos pré-estabelecidos de acordo com o aproveitamento do papel em relação ao impresso á ser produzido, usualmente os acabamentos que o produto gráfico terá, é feito em fora de linha, ou seja, em outras máquinas que não a impressora.
Neste tipo de máquina impressora a agilidade de acerto de máquina é o ponto-chave, pois por ter quantidade de impressão menor por cada trabalho (menor em comparação com as rotativas) o rápido e eficaz ajuste da máquina para cada trabalho é o que dá grande produtividade á máquina.
Para o sistema convencional de molha deste tipo de máquina é indicado o uso de  moletom nos rolos tomador e nos de chapa.

Offset Plana

Regulagem de Máquina

Indicações técnicas para ajuste do sistema de molha

Alguns pontos cruciais devem ser observados ao fazer o ajuste dos rolos do sistema de molha convencional de máquinas offset.

Antes de falarmos sobre os revestimentos têxteis, é necessário deixar muito claro aos usuários a  importância da água na impressão como um todo.
     
Responsável por pelo menos 80% da impressão, a água geralmente é subvalorizada pelos gráficos. O PH da água, sua temperatura, os metais que a compõe e sua estabilidade durante a impressão, são pontos chave para iniciarmos um bom trabalho em qualquer sistema de molha, seja ele convencional (com moletons ou manchões) ou alcoolor (sem camisas molhadoras).


 

Uma boa solução de fonte é fundamental, pois ela ajuda a determinar o resultado final do trabalho impresso.  

Já com relação aos rolos, é primordial observarmos se a dureza de sua borracha está com o shore ideal e se o próprio rolo está retificado, ou seja, se não há "barrigas"   ou qualquer protuberância por toda sua extensão.

A camisa molhadora que reveste o rolo tomador tem função  de destaque no sistema de molha convencional, pois de acordo com sua capacidade de transporte de água, é determinado o esforço que a máquina trabalhará.

 
 
O moletom que reveste os rolos de chapa tem outros objetivos além do transporte de água. Este rolo de chapa  revestido por moletom, "trabalha" em cima da chapa de impressão, umedecendo-a, espalhando a água por toda superfície da chapa, e resgatando a água que é "expelida" pela força centrífuga da rotação do cilindro da chapa, homogeneizando a chapa com um filme de água adequado.
 
Outra premissa das camisas molhadoras é não soltar fibras ou resíduos, pois são estes que "marcam" a impressão, formando defeitos popularmente chamados de "caroços" ou "olhos de boi".
 
 

Perguntas e respostas frequentes

 Como saber a camisa molhadora correta?

Pelo fabricante/modelo da máquina que irá utilizar a camisa molhadora?


Não. As máquinas que utilizam camisa molhadora são geralmente mais antigas, e seus cilindros na maioria das vezes, já passaram por algum processo de retificação, podendo terem mudado do diâmetro original indicado pelo fabricante. Deste modo a venda com relação a máquina não garante a correta medida da camisa molhadora relativa ao
Diâmetro do cilindro.

Pela largura da camisa molhadora?

Não. A largura do tecido pode sofrer variação de acordo com a temperatura do ambiente e a umidade do ar, impossibilitando que a largura seja uma referência do tecido em sua especificação.

Pelo nome do tecido?

Não. Os nomes das camisas molhadoras variam de fabricante para fabricante, ou seja não é aconselhável vender por nome.

Pelo diâmetro do cilindro á ser revestido?

Sim. Esta é a única forma de ter certeza de qual é a camisa molhadora correta para cada cliente.

 
 

Como devo limpar a camisa molhadora?

Devo lavar com solvente a camisa molhadora?


Não. O solvente corrói as fibras dos têxteis provocando a liberação de resíduos na impressão e diminuindo a vida útil da camisa molhadora.

Devo lavar com sabão de côco ou sabão neutro?

Não. Os detergentes comuns limpam os fios superficialmente, deixando oleosidade entre as fibras que formam os fios. Após algumas impressões muita oleosidade acumula-se no fio, saturando o material e bloqueando a absorção da água. Provocando a velatura da impressão.

Deve ser usado um desengraxante industrial.

As instruções de diluição do detergente, devem ser obtidas com seu respectivo fabricante e/ou distribuidor.

Coloque o cilindro revestido em uma banheira de limpeza. Despeje abundantemente a solução sobre o tecido, de modo que toda a superfície de sua camisa molhadora seja atingida pela solução. Utilizando sua luva de borracha, esfregue vigorosamente a camisa molhadora no sentido das felpas. Retire o cilindro da banheira. Enchague muito bem o tecido, até retirar completamente a solução de sua superfície. Se necessário, repita o processo.
Sua camisa molhadora da offtex® está pronta para ser reutilizada.


A camisa molhadora está soltando felpa!

Existem vários fatores para este  possível problema:
Característica do material de composição, manutenção e estresse das fibras.


Possíveis soluções:

A- se ela for de algodão é característica do próprio material soltar fiapos ou resíduos.
B- se a camisa molhadora, seja ela de qualquer composição, entrar em contato com solventes, o tecido será corroído pelo solvente provocando a liberação de felpas residuais (no caso das camisas molhadoras sintéticas) ou aumentando esta liberação (no caso das de algodão) .
C- se a camisa molhadora tiver atrito demasiado, seja com escovas de limpeza ou outro material rugoso, provocará a quebra das fibras que compõem o fio e acarretará na liberação das felpas residuais.

 

A camisa molhadora está rasgando no cilindro!

Com certeza existe tensão  em demasia no material têxtil.


Possíveis soluções:


A- provavelmente ela está muito apertada, ouseja, não é a camisa molhadora adequada para o diâmetro do cilindro.

B- o atrito entre os cilindros e/ou a chapa pode estar maior do que o necessário e permitido.


A camisa molhadora não está absorvendo água!

Este problema deriva da ausência de área de material para absorção.


Possíveis soluções:

A- provavelmente a camisa molhadora está saturada de oleosidade, pois a limpeza não foi feita de forma correta. Limpe a camisa molhadora com um desengraxante industrial.

B  a vida útil da camisa molhadora acabou e os materiais têxteis que a compõem não estão mais dando conta da absorção mínima de água que a máquina necessita.


A camisa molhadora está absorvendo água demais!

Uma das principais funções das camisas molhadoras é absorver água, e quanto mais melhor. Quanto mais água a camisa molhadora absorver menor será o esforço que a máquina terá que fazer para transportar a água para o sistema de impressão.


Possíveis soluções:

A- cada máquina tem sua própria forma de regulagem, porém de modo geral o contato entre os cilindros deve ser reduzido. O filme de água deve estar mais grosso que o ideal, que é 100 microns.


A camisa molhadora entra com muita dificuldade no cilindro.

A camisa molhadora é fabricada para ser o mais próxima possível do diâmetro do cilindro. Por esta razão geralmente é difícil o processo de colocação.

Possíveis soluções:

A- para facilitar este processo recomendamos a colocação de  talco especial por sobre a superfície do cilindro.
B- a camisa molhadora aguatex ajustável (do tipo sintética encolhível) é fabricada com o diâmetro maior que o do cilindro, isso facilita a colocação. A embalagem vem com o talco próprio para instalação para facilitar ainda mais este processo. Após o processo de termoencolhimento a camisa se retrae ajustando-se totalmente ao diâmetro do cilindro.


A impressão fica marcada, com pulos de impressão, pode ser culpa da camisa molhadora?

Sim. As camisa molhadoras que não são encolhíveis algumas vezes podem apresentar folga ou sobra em relação ao cilindro.

Possíveis soluções:


A- puxe/estique mais as bordas ou pontas do tecido no final cilindro de forma que essa folga diminua ou cesse.

B- a camisa molhadora aguatex ajustável (do tipo sintética encolhível) após o processo de termoencolhimento, se retrae ajustando-se totalmente ao diâmetro do cilindro. Desta forma este tipo de problema é totalmente inexistente ao utilizar este tipo de camisa molhadora.

A camisa molhadora sintética está soltando fibras/felpas antes da instalação, é normal?

Sim. As camisa molhadoras sintéticas podem apresentar  desprendimento de fibras antes da instalação, e isso deve-se ao tipo de fibras que compõe o fio, fibras multifilamentosas. No processo de tecimento da camisa molhadora o fio passa por guias que retiram os multifilamentos que estão sobrando na superfície do fio. Algumas dessas fibras permanecem na superfície do tecido, e só serão retiradas totalmente após processo de aspiração ou lavagem.

Possíveis soluções:

A-  umidecer totalmente e enxaguar a camisa molhadora antes da sua utilização. No caso do aguatex ajustável (sintética encolhível) esse processo já é feito ao mesmo tempo do processo de termoencolhimento.
 
 
AVELUDADO

Descreva sua imagem.